Notícias do Mundo Jurídico

MPF requer absolvição de Lula na operação Zelotes

O parquet também requereu a absolvição do ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho. Ambos eram acusados de aceitar promessa de vantagem indevida no valor de R$ 6 milhões.
O procurador da República Frederico Paiva requereu a absolvição de Lula e do ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, no âmbito da operação Zelotes. Essa operação foi deflagrada pela PF em 2015 a fim de investigar organizações criminosas que atuavam na manipulação do trâmite de processos e no resultado de julgamentos no Carf.

De acordo com o parquet, o conjunto probatório falha em produzir uma prova “acima de qualquer dúvida razoável” das acusações de corrupção por Lula e Gilberto.
Pela denúncia, Lula e Gilberto Carvalho teriam aceitado promessa de vantagem indevida por meio de doação não declarada para a campanha eleitoral do PT, no valor de R$ 6 milhões, em novembro de 2009.

O procurador da República afirmou que as provas produzidas ao longo da instrução “não trouxeram luz quanto às circunstâncias em que teria ocorrido o repasse dos R$ 6 milhões de reais a Lula ou a Gilberto Carvalho”.

Diz o documento que, apesar do “manancial de provas” que apontam para o fato de que parte dos valores recebidos por outros denunciados acabava nas mãos de agentes públicos, “paira nos autos uma dúvida razoável a respeito do efetivo destinatário das vantagens indevidas”.

O procurador afirma que o juízo condenatório “carece de mais elementos, ainda que indiciários”, de que os valores foram concretamente repassados em favor do PT.

Assim, o MPF requereu a absolvição seis pessoas, dentre elas Lula e Gilberto Carvalho, das imputações contidas na denúncia.

Veja a íntegra do documento.

Defesa

A defesa técnica de Gilberto Carvalho (Pierpaolo Cruz Bottini, Leandro racca, Stephanie Guimarães) se pronunciou sobre o caso:

“A manifestação do Ministério Público vai na linha dos argumentos apresentados desde o início pela defesa: não houve crime, não houve qualquer ilegalidade. E o Ministério Público, como fiscal da lei, cumpriu o seu papel requerendo a absolvição.”

Fonte: www.migalhas.com.br

Exibir Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você está na versão offline