Artigos Jurídicos

Júri: Advogado se exalta, deixa julgamento e é multado por abandono

O episódio aconteceu no Rio Grande do Sul durante julgamento do "caso Rafael", o menino de 11 anos que foi morto. A mãe é acusada de homicídio qualificado.

No Rio Grande do Sul, o advogado Jean de Menezes Severo deverá pagar multa de 90 salários-mínimos por abandono injustificável de sessão. Em vídeo da sessão do Júri realizado no último dia 21, o advogado se exalta e abandona a sessão, que acaba sendo encerrada em virtude do ocorrido.

O “caso Rafael” é que estava em julgamento: o menino tinha de 11 anos, quando foi morto em maio de 2020. O advogado Jean de Menezes Severo representa a mãe do menino, que é acusada de cometer homicídio qualificado.

A defesa da mãe do menino Rafael pediu para que um áudio supostamente encontrado no telefone do pai dele fosse periciado. O Ministério Público se opôs e a juíza Marilene Parizotto Campagna negou o pedido. Essa foi a situação que motivou a defesa a deixar o plenário.

Assista ao momento da confusão:

Multa

A juíza Marilene Parizotto Campagna, de Planalto, atendeu pedido do Ministério Público, que requereu que os advogados da mãe fossem condenados ao pagamento de multa pelo abandono injustificável.

Na decisão, a magistrada registrou: “mostrar a todos que a vaidade e a soberba não devem ter espaço, bem como que sempre há algo para corrigir, aprender e melhorar; o ambiente judicial não deve ser palco para disputa pessoal entre os diversos atores, para provar quem é o mais sábio ou mais arguto, senão um espaço onde cada um dos atores possa desempenhar a sua função da melhor forma possível”.

A juíza também destacou o prejuízo financeiro pela não realização do ato e que o valor deverá ser adimplido exclusivamente pelo advogado que, antes de deixar o plenário, assumiu pessoalmente a responsabilidade pelo ato em razão de ser o coordenador da bancada de defesa.

A magistrada ainda determinou que seja comunicado ao presidente OAB/RS o abandono injustificável da sessão plenária, para que sejam adotadas as providências cabíveis.

Processo: 5000848-82.2020.8.21.0116

Boate Kiss

Jean de Menezes Severo atuou também no polêmico julgamento da Boate Kiss. O advogado defendeu Luciano Bonilha Leão, auxiliar de palco da banda Gurizada Fandangueira. Nos julgamentos, Jean de Menezes Severo chamou atenção pelo tom incisivo de suas falas: “vão me dar 37 minutos. eu não faço um miojo em 37 minutos” (tempo 0’35”).

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 4/4/2022 18:11

Fonte: www.migalhas.com.br

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo